quarta-feira, 2 de julho de 2008

A benção do plágio

Tarantino sempre me lembra porque o cinema é de mentira.

O plágio como benção

Sabe aquelas frases desimportantes? Aquelas citaçoes de outras pessoas dizendo que foi Clarice Lispector que escreveu, ou Drummond? Sabe aquela fraude? Aquela musica dedicada que nao é para voce, aqueles versos que encantaram, e depois as entrelinhas embaçaram, e voce descobre que a parede é de isopor, o murro nao dói, o beijo é de mentira, igual filme lado B. Ou qualquer Tarantino que te interesse...
Voce anda pela calçada escutando aquela frase ridicula daquela banda que voce escutava, e plageia o momento.
Igual agora: "alguns sao idiotas e outros sao mais idiotas que os outros"


E Tarantino nao precisa de facas de requeijão.

Nenhum comentário: