quinta-feira, 30 de abril de 2009

Do desejo - I ( Hilda Hilst )

Porque há desejo em mim, é tudo cintilância.
Antes, o cotidiano era um pensar alturas
Buscando Aquele Outro decantado
Surdo à minha humana ladradura.
Visgo e suor, pois nunca se faziam.
Hoje, de carne e osso, laborioso, lascivo
Tomas-me o corpo. E que descanso me dás
Depois das lidas. Sonhei penhascos
Quando havia o jardim aqui ao lado.
Pensei subidas onde não havia rastros.
Extasiada, fodo contigo
Ao invés de ganir diante do Nada.

da série, sou brega sim e daí?

um dos jeitos mais legais de se dizer te amo em dialogos de filme
quem lembra desse? classico de 93 com robert redford lindissimo ainda q caído e demi moore gatissima!e o fulaninho marido dela q agora esqueci o nome, que fez aquele filme com a courtney love no elenco. rá

Diana: Have I ever told you I love you?
David: No.
Diana: I do.
David: Still?
Diana: Always.

quarta-feira, 29 de abril de 2009

Que livro eu sou!

Que lindooo! tbm sou poesia!! e romance realista! amei amei! se nao bastasse um, sou três.

"Antologia poética", de Carlos Drummond de Andrade
"O primeiro amor passou / O segundo amor passou / O terceiro amor passou / Mas o coração continua". Estes versos tocam você, pois você também observa a vida poeticamente. E não são só os sentimentos que te inspiram. Pequenas experiências do cotidiano – aquela moça que passa correndo com o buquê de flores, o vizinho que cantarola ao buscar o jornal na porta – emocionam você. Seu olhar é doce, mas também perspicaz.
"Antologia poética" (1962), de Drummond, um dos nossos grandes poetas, também reúne essas qualidades. Seus poemas são singelos e sagazes ao mesmo tempo, provando que não é preciso ser duro para entender as sutilezas do cotidiano.

"O vampiro de Curitiba", de Dalton Trevisan

Descolado, objetivo e realista. Cult. Você deve se sentir mais à vontade longe de shoppings, da TV e de qualquer coisa que grite “cultura de massa”. Nada de meias palavras: a elas, você prefere o silêncio. Você não vê o mundo através de lentes cor-de-rosa, muito pelo contrário. Procura ver o mundo como ele é, entendê-lo, senti-lo. Às vezes, bate até aquele sentimento de exclusão, ou de solidão. Mas é o preço que se paga por ser um pouco "marginal". Não se preocupe, pois você atrai a admiração de pessoas como você: modernas no melhor sentido da palavra.
Em "O vampiro de Curitiba" (1965), Nelsinho protagoniza uma variedade de contos, nos quais ele busca satisfazer sua obsessão sexual vagando pelas ruas de Curitiba - paralelamente, esta cidade de contrastes se revela ao leitor. A temática e a forma já denunciam: este não é um livro para qualquer um. Tem que ter cabeça aberta para enfrentar a linguagem nua e crua de Trevisan, que é reverenciado pelo leitor capaz de driblar velhos ranços burgueses.

"Memórias póstumas de Brás Cubas", de Machado de Assis

Ok, você não é exatamente uma pessoa fácil e otimista, mas muita gente te adora. É possível, aliás, que você marque a história de sua família, de seu bairro... Quem sabe até de sua cidade? Afinal, você consegue ser inteligente e perspicaz, mas nem por isso virar as costas para a popularidade - um talento raro. Claro que esse cinismo ácido que você teima em destilar afasta alguns, e os mais jovens nem sempre conseguem entendê-lo. Mas nada que seu carisma natural e dinamismo não compensem.
"Memórias póstumas de Brás Cubas" (1881) é considerado o divisor de águas entre os movimentos Romântico e Realista. Uma das expressões da genialidade de Machado de Assis (e de sua refinada ironia), há décadas tem sido leitura obrigatória na maior parte das escolas e costuma agradar aos alunos adolescentes. Já inspirou filme e peças de teatro. É, portanto, um caso de clássico capaz de conquistar leitores variados. Proezas de Machado.

misturinha boa eu né? um clássico da modernidade como diria a Branca hahahahah
amei!

quinta-feira, 23 de abril de 2009

Everything is illuminated.

Algumas histórias nascem de impressões antigas, como um baú na casa da avó que você abre esperando encontrar algumas respostas, um lenço meio poído ou amarelado. Pedaços do tempo que nao é nosso. Procurando nessa cidade submersa, abrindo gavetas, fotografias. Esses signos que perpetuam na nossa cabeça, na nossa semiótica de luz e sombra. Pegar com a mão esse amor-feto e criar ele, só isso que vejo seus olhos me pedirem. E eu pensando em tantos outros que nao deram certo, que ficaram debaixo, coberto pelas águas, agora eu entendo porque tem muitos com medo do mergulho. De achar esses vestígios que são daqui de dentro, dessa memória coletiva própria do universo dos apaixonados, que ilumina quarteirões, essas casas, quartos, camas, uma cidade inteira, um mundo todo. E eu me lembro do diálogo waking life, talvez nao sejamos reais mesmo, somos essa sombra que vai ficar para trás, submersa. Tantas heranças deixaremos, meu amor. Tantas foram deixadas. Tristãos e Isoldas a povoar esse imaginário de amor-romântico. Tantas cidades-atlântidas escondidas em caixas de madeira em cima de armários. Tantas alianças enterradas esperando pelo acaso. In case. No caso de alguem vier a procura pra entender. para iluminar-se de poeira. Esse amor que está guardado no coletivo universal. Esse que faz acreditarmos em destino e coisas de além-mar, além-céu. Everything is going to be illuminated. Most of the times, trought times.

In case...
In case...
In case someone should come searching one day.
So they would have something to find.
No, it does not exist for you.
You exist for it.
You have come because it exists.
She says the ring is not here because of us.
We are here because of the ring.

quinta-feira, 16 de abril de 2009

A enciclopédia das des-venturas românticas.

Para as animadas e indefesas mocinhas da noite uberlandense


É bem claro que minhas teorias sao fidelizadas por fatos que realmente ocorreram em algumas situaçoes da noite uberlandense. Mais especificamente nas imediaçoes centro-bar pra sempre Bahamas e Goma cultura em movimento. Acho que estava mesmo na hora de abrir um pocket show, construír uma enciclopédia de desventuras em série por esse universo tao conhecido de leitores assíduos desse site aqui. Esperar pelo final de semana é quase que esperar pelo coelho apressado de Alice,correr atrás dele sem carona, sem hora pra voltar, sem destino próprio. E nao se preocupe, o rock vai estar lá. De tennis all star, fumando um cigarro, falando de leituras marginais e strokes.Ah, vai dizer que você já nao passou pela frente do goma, naquela vigésima ediçao daquela mesma festa e pensou, fuck! manda uma cindy lauper que tudo há de ficar bem. E estão todos lá sempre. Comprando a heineken nossa de cada dia, brincando de alex delarge nas paredes dos becos, um universo caótico e blade runneriano, que voce até pensa, "meu deus, nao vou sobreviver a isso hoje". Então por isso, para que você consiga sim sobreviver, talvez lembrar no outro dia, e quem sabe até arrumar uma carona de volta, pra realidade eu preparei especialmente essa enciclopédia pra você, sim especialmente para você, que acabou de encontrar o rock dentro da casa de você mesma e conseguiu pegar o carro do seu pai pra chegar até aqui. Atrás dos coelhos de relógios malucos esperando pela festa começar. Primeiro, a noite só vai começar se você deixar que ela comece. Não, nada de se fazer de difcil, nao estamos aqui pra isso. Let it be querida. Let it bleed. E nao se anime muito, ele nao vai te pagar o drink. Ajusta a blusa e continue a conversa. Ele com certeza ja leu algumas pérolas, saiba quem é Bukowski, pelo menos, saiba. Isso! você está indo bem. Laranja mecânica?? Beleza, boa garota, acertou na mosca. Continue, acenda um cigarro devagarzinho, nao na na na naoo, nada de falar sobre seu disco predileto dos Beatles, nada disso. Principalmente se for o branco. Fica na sua. Continue falando coisas non-sense e bonitinhas. Nada de tentar qualquer coisa filosófica, nao cola. Basta você saber que Strokes é a banda mais legal do mundo, se ele curtir muito um radiohead, nao desanime, por mais que pareça ele nao vai cortar os pulsos. Isso, falar de musica? Então tá! Oitenta por cento dos garotos ali, desses subalternos da rainha de copas sao rockers, tem uma banda e falam muito de musica. Então vai fundo. Uma dica, os anos noventa estão em alta. Pise em ovos ao se tratar do movimento grunge e pronto. Mais um gole de cerveja. Mais outro. Procure ter olho clinico pra identificar alcoolatras em potencial, pervertidos de carteirinha e anti-cafajestes. Não se esqueça, você está numa des-ventura romântica, o que tiver que dar errado vai dar, nao se preocupe. Se ele for esses três citados, você foi premiada. Mas você vai sobreviver, e rir muito ainda. Mantenha a calma. Já conseguiu encontrar pessoas que conhece? Nesse meio tempo? Não ainda né? Mas vai cumprimentando todos que o conhecerem, no próximo final de semana vao estar todos aí de novo, e voce terá feito amigos,gatos Cheshires, chapeleiros malucos e um monte mesmo de lagarta colorida. Pronto você é cool menina,nao duvido que seja uma graça, está afim de encher a cara e de flertar, nao tem mal nenhum nisso. E encontrou um cara meio esquisito, super bacana, que cita uns nomes estranhos de bandas estranhas mas voce ficou bem afim né? Ele também né? Foi bom? Aposto que sim. E o próximo final de semana? Ficou afim de novo né querida? Parece acido lisérgico nao é? Então, voce vai ter que atravessar o espelho agora, é. Desculpa, mas vai. Larga a fruta agora! Um segredo, ele vai sempre estar no mesmo lugar,é só voce atravessar o espelho again, e rezar para que a outra Alice nao tenha ficado com ele e sim com o gato maluco,amigo dele. Se voce realmente deixar que o ambiente te comova, voce nao irá se importar. Porque a noite ali, ja disse, bladerunneriana (todos os momentos irao se perder no tempo, como lagrimas na chuva)e final de semana tem mais, do mesmo. E lembre-se, mantenha a calma, o coraçao aberto e sangrando que a noite vai te ferrar, mas vai ser gostoso, prometo.

Rafaella Biasi, frequentadora assidua do país das des-maravilhas uberlandenses, onde o nao é próximo do sim que quer dizer wheatever.

terça-feira, 14 de abril de 2009

Efeito-estilingue

A negação é própria da morte. Tudo bem que esse mundo feito de cotonetes para limpar os ouvidos ou fitas para curar as feridas existe, e está aí bem na sua frente,fazendo careta e contando bobagens, cinismos. Isso eu nunca duvidei. Mas o que realmente eu ando duvidando é se toda vez que eu me lançar, nao vai ser eu a voar.Eu fico realmente pensando se nao me coloquei em outro papel, um pouco mais vil. De sempre voltar pro mesmo lugar. Odeio voce Kundera. Essa brincadeira de fazer tudo tao factual e objetivo. Essa brincadeira de eterno retorno, essas coisas sórdidas que só gentinha como você sabe falar. Como tantos outros. E todo mundo sai replicando essa mesma porcaria por aí. Em filmes paradigmas-de-liberdade-e-prisão-momentâneas. E aquele a abrir minhas veias, minhas veias nao. Minto. Para abrir esse simulacro de dor que eu crio,esse invólucro de tristeza armazenado. E que existe só para isso aqui, pra eu cuspir aqui sempre para dentro desse mundo que é essa box com opçoes de postagem. Alguns diriam, escreve e cala a boca, outros diriam, vai trepar Hemorrágica. Tem uns que inclusive me servem de torniquete. Mas a verdade é que eu sucumbo sempre a mim mesma. I can´t escape myself, é toda vez. Pode até parecer ingenuidade minha, mas eu sempre volto pra mim, dentro dessa menina que só tem 13 anos de idade, e acha que vai escrever um livro e o de fato o faz, com personagens românticos e caóticos que fumam maconha e a colocam pra dormir_tudo influência de Christiane F._ a propósito, uma coisa pra te dizer viu! Esse filme ensina mesmo é se apaixonar em David Bowie. Pra sempre e só. Mas isso eu deixo para os papos de boteco de toda santa vez, para os meus. Para vocês eu deixo... hum... espero deixar uma gota de insatisfação. De incômodo. Porque se você pensar bem, o mundo é sim menos livre do que a gente pensa. E se na sua frente você sentir que vai acontecer a mesma cena daquele mesmo filminho torpe, e você agir assim, num efeito-estilingue, e se conformar, dê a cara a tapa e me conte. Mas se você conseguir em exato três segundos me provar que aquele casal de personagens se encontrão como haviam prometido depois de seis meses, entao meus caros, vêm comigo, porque Paris vai ser uma festa! Welcome to my life s/a.

quarta-feira, 8 de abril de 2009

boa sorte!

Ontem uma joaninha pousou em mim, num momento meio bossa nova rock n roll, conversivel anos 60 e echarpe Audrey Hepburn. Ontem tudo fez diferença.Amanha preciso de um pensamento bom, só isso.


Boa sorte Rafaella.

domingo, 5 de abril de 2009


A história de amor mais bonita contada em uma noite. E esse vermelho todo penduradinho nesses talos. Esperando pra voar. E me vendo abrir essa janela. Pra voce eu abro, toda vez. É só pedir ou aparecer.