quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Intervenções literárias.

É que daí sempre que leio algo que promove uma ruptura em mim, qualquer ruptura que permite o ato criativo, aí eu crio em cima daquilo que eu acabei lendo. Essa pequena intervenção é de um livro que tô lendo agora, devagar e sempre porque além do que é um livro difícil e eu tenho que aprender a ler sozinha. 


"A lua, passiva tecelã do destino". A alma com suas vertigens de luz e sombra. a alma que puxa e entrega. Que lança e recolhe esse fio indomável que é a Vida. Sintomas de dor e amor, de preguiça e atenção. Distraídos andamos para alcançar o final, uma ruptura tão sutil, porque o final também é o começo.
Intervenções do cotidiano literário.